A semente Margarida

Dia 12 de agosto,

Nasceu um sol diferente

Um aspecto de tristeza

O sofrido ao invés de quente

Era Deus dando sinal

Da morte de um inocente (…)

Sabemos que Tiradentes foi morto e esquartejado

Jesus Cristo deu a vida para redimir o pecado

Margarida deu a vida em prol dos sacrificados.

(repentista Soledade)

Neste dia 12 de agosto completam 39 anos da morte de Margarida Maria Alves, mulher, trabalhadora rural, sindicalista, mãe e defensora dos direitos humanos e da agricultura familiar. 

Natural de Alagoa Grande (PB), foi a primeira mulher a ocupar um cargo de presidente no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande e uma das primeiras a exercer um cargo de direção sindical no Brasil.

No Dia do Trabalhador, em 1º de maio de 1983, Margarida denunciou que estava recebendo ameaças de morte e falou sua célebre frase: “Da luta não fujo. É melhor morrer na luta do que morrer de fome”. O seu legado permanece e inspira gerações de mulheres.

Sua luta e resistência inspirou a Marcha das Margaridas, que foi realizada pela primeira vez em 2000, em Brasília, organizado pela CONTAG. E se tornou a maior mobilização de mulheres da América Latina. A marcha é o símbolo da luta por direitos para as mulheres do campo, das florestas e das águas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.