Agricultura familiar estará representada no Legislativo e segue na luta para eleger a chapa Lula-Alckmin no 2º turno

Arte: Fabris Martins

 

A eleição para a Presidência da República será decidida no 2º turno, no dia 30 de outubro. Lula registrou 57.257.473 votos (48,43% dos votos válidos) e Bolsonaro 51.071.106 (43,20%), não sendo suficiente para a decisão neste domingo, 02 de outubro. Em 12 estados também haverá outra votação para os governos locais.

A CONTAG, Federações e Sindicatos, desde o dia 25 de abril de 2022, afirmaram sua identidade e apoio político ao projeto representado pela chapa Lula e Alckmin à Presidência da República e ao programa de propostas apresentado, manifestando apoio político, respeitando a legislação vigente, por entender que esta candidatura se aproxima ao que a Confederação defende por princípios sobre o desenvolvimento sustentável, políticas públicas, soberania nacional, agenda da classe trabalhadora e da maioria do povo brasileiro e, principalmente, sobre a defesa e valorização da agricultura familiar e dos sujeitos do campo, da floresta e das águas. Esse apoio político foi manifestado a partir da aprovação de Resolução pelo Conselho Deliberativo da CONTAG. Clique AQUI.

Apesar de um novo encontro com as urnas no final do mês, a CONTAG destaca o resultado obtido nas urnas com a eleição de candidatos/as orgânicos/as e de pessoas comprometidas com a pauta da agricultura familiar. Foram 05 trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares eleitos/as para a Câmara dos Deputados e Deputadas, 01 para o Senado e 04 para as Assembleias Legislativas dos estados. Quanto às pessoas comprometidas e parceiras, tem 01 governadora eleita e 02 governadores eleitos, 03 senadores eleitos e 01 senadora eleita, 11 como deputados/as federais e 08 como deputados/as estaduais. Desse total, 09 (12%) são mulheres, todas eleitas pelo PT. 05 se elegeram como as mais votadas da Federação partidária e do PT. Teresa Leitão (PE) é a primeira mulher senadora eleita pelo estado.

É importante destacar que vários/as estão como suplentes e essa representação pode ser ampliada.

Ao todo havia 75 candidaturas entre orgânicas e comprometidas, sendo eleitas 36 (48%) no primeiro turno. 02 disputam o segundo turno (governos BA e SE), 21 (28%) ficaram na suplência, 15 (20%) não se elegeram e 01 candidatura foi indeferida.

Seguem os candidatos e candidatas eleitos/as que são trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares:

Beto Faro é o primeiro trabalhador rural eleito Senador da República.

Dilvanda Faro (150.065) e Carlos Veras (127.482) se elegeram como primeira e primeiro colocados na Federação Partidária e no PT dos respectivos estados. Ademais, Dilvanda é a primeira trabalhadora rural orgânica eleita para a Câmara Federal representando a CONTAG, Federações e Sindicatos.

Seguem os candidatos e candidatas eleitos/as que são comprometidos com a pauta da agricultura familiar:

Governadora reeleita no primeiro turno e governadores eleitos no primeiro turno. Ainda na lista do MSTTR, Jerônimo Rodrigues (PT-BA) e Rogério Carvalho (PT-SE) irão disputar o segundo turno e ambos terminaram o primeiro turno na primeira colocação.

Natália Bonavides (157.565), Erika Kokay (146.092), Adriana Accorsi (96.714) e Helder Salomão (120.337) foram eleitas(o) em primeiro lugar na Federação partidária e no PT.

Isolda Dantas (57.046) foi reeleita como a deputada mais votada da Federação partidária do PT.

“Continuamos na luta para eleger, no segundo turno, os representantes comprometidos com a agricultura familiar para o Executivo federal e de alguns estados. Sobre o Legislativo, que já está definido, temos o importante papel de já acompanhar esses mandatos, propor e pressionar para que a agricultura familiar seja fortalecida nas ações, nos projetos de lei, nas votações e nos orçamentos, seja na esfera estadual ou federal. Precisamos retomar o desenvolvimento do País, combater a fome e a pobreza, derrubar o teto de gastos e voltar a investir na saúde, na educação, na segurança e em outras políticas estratégicas para a população brasileira”, defendeu o presidente da CONTAG, Aristides Santos.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Verônica Tozzi e da Presidência – Givanilson Porfirio da Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.